Probióticos são micro-organismos vivos que se administrados em quantidades adequadas promovem benefícios à saúde, segundo a O.M.S (Organização Mundial de Saúde).

Aqui no Brasil temos 2 bactérias mais utilizadas com freqüência na suplementação de probióticos:

O lactobacillus acidophilus (um habitante comum do nosso intestino), que produz substâncias que tornam o nosso intestino menos suscetível ao crescimento de bactérias que causam doença e o bifidobacterium lactis (também comum na nossa flora/ microbiota intestinal) que tem a capacidade de formar uma barreira que impede a passagem de bactérias ruins para dentro das paredes do intestino que, por consequência, consegue chegar à nossa corrente sanguínea e se disseminar para outros órgãos.

 

ESTUDOS E BENEFÍCIOS

Muitos estudos foram e ainda estão sendo feitos sobre este tema, que parece promissor para a saúde de crianças, adultos e idosos.

 

Confira 8 Benefícios do uso de Probióticos:

1: Melhoram a freqüência das evacuações. Um estudo japonês que incluiu 1248 indivíduos com dificuldade de evacuar e desconforto abdominal foi dividido e submetido ao uso de Bifidobacterium  lactis ou placebo (uma preparação neutra, sem a substância investigada) durante o total de  4 semanas, havendo no final da observação um aumento de pessoas que aumentaram a frequência no número de evacuações durante mais da metade do tempo observado no grupo daqueles que receberam o probiótico.

2: Ajudam no tratamento da Síndrome do Intestino Irritável. Hoje já existem estudos que mostram a alteração da composição da microbiota intestinal em pacientes diagnosticados com a Síndrome do Intestino Irritável e esses estudos demonstram aumento da quantidade desses 2 probióticos no microbioma fecal dos pacientes, relacionando assim que essas bactérias benéficas estão em maior número dentro da flora intestinal do indivíduo.

3: Previnem as diarreias causadas por antibióticos. Alguns antibióticos são frequentemente associados a quadros de diarreia, pois o antibiótico interfere em vários tipos de bactérias, tanto as nocivas quanto as boas, então, um estudo realizado na Índia  em 2013 mostrou que ao se associar, logo no inicio do uso do antibiótico, a suplementação por 2 semanas desses probióticos, reduziu-se o tempo de diarreia  e a incidência de agravamento do quadro diarréicos nesses pacientes quando comparados com os pacientes que não usaram os probióticos.

4: Reduzem as bactérias ruins no intestino. Existe um tipo de bactéria nociva chamada Enterococo que causa frequentes infecções intestinais, seu crescimento é inibido quando se aumenta o número de Lactobacilos e Bifidobacterium ativos no intestino.

5: Reduzem infecções na infância. Um estudo finlandês realizado com crianças pequenas de até 1 ano de idade mostrou risco menor de infecções respiratórias naquelas que consumiram a Bifidobacterium.

6: Melhora a resposta à erradicação do H.Pylori: Hoje em dia temos uma grande quantidade de brasileiros acometidos pela bactéria H.Pylori que, se colonizar o estômago, causa inflamação crônica que pode ser sintomática ou não. A presença da bactéria em alguns pacientes pode levar a formação de úlcera (uma ferida na parede do órgão). Estudos mostram que indivíduos que suplementaram o tratamento antibiótico para erradicar a bactéria com a combinação de lactobacillus e bifidobacterium mostraram uma taxa de sucesso maior em comparação àqueles que só tomaram o esquema de antibiótico para eliminar a bactéria do estômago.

7: São medicamentos seguros. Isso é muito importante! Foram comparados inúmeros trabalhos e nenhum deles demonstrou que os probióticos aumentaram os efeitos adversos (ou indesejados) em relação ao placebo.

8: Melhora a resposta imunológica (de defesa do organismo) após a vacinação contra a gripe: O uso do Bifidumbacterium /Lactobacillus está relacionado diretamente na resposta imunológica, foram observados no estudo italiano de 2012 onde 211 indivíduos ingeriram esses probióticos após serem submetidos à vacinação contra influenza (gripe) e os exames de laboratórios mostraram um aumento significativo na produção de imunoglobulinas, isto é, de anticorpos que são substancias que reconhecem e inativam as substâncias que nos causam problemas.

Intestino e Microbioma (Flora Intestinal)

FONTES NATURAIS DE PROBIÓTICOS

Fontes naturais de Bifidumbacterium e Lactobacillus acidophillus são iogurte, kefir de leite, queijos e coalhada.

As opções veganas são kefir de água, chucrute/ kimchi (ambos produzidos com repolho fermentado), kombucha, tempeh (soja fermentada do oriente).

Coalhada pode ser servida doce ou salgada.

Converse sobre esses alimentos com seu nutricionista ou médico gastroenterologista e tenha uma fonte natural de probióticos na sua alimentação diária.

 

 

Texto escrito pela médica gastroenterologista Fabiana Alves.

Mais textos da doutora você encontra aqui!

E o currículo completo da profissional também está no nosso site!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *