Pilates no tratamento da incontinência urinária

Pilates no tratamento da incontinência urinária

A incontinência urinária (IU) pode ser definida como qualquer perda involuntária de urina. Anteriormente, esta disfunção era abordada apenas como um sintoma, no entanto, atualmente, compreende-se que a IU pode ser considerada uma doença que oferece prejuízos no âmbito social e sexual, levando à redução da qualidade da vida.

Descubra como o método Pilates opde contribuir no tratamento da incontinência urinária.

A incontinência urinária acomete essencialmente mulheres sendo a população idosa frequentemente mais acometida.

As incontinências podem ser de 3 tipos:

  • IU de esforço: quando há perda de urina durante a realização de atividades que promovem o aumento da pressão intra-abdominal como espirro, tosse, levantamento de carga, etc;
  • IU de urgência: com impossibilidade de reter a urina quando surge a necessidade de fazê-la
  • IU mista: perda associada tanto ao esforço quanto à urgência.

A incontinência urinária está relacionada principalmente à redução de força e resistência da musculatura perineal (ou assoalho pélvico). Esta musculatura possui como principal função a sustentação dos órgãos pélvicos. O controle esfincteriano (ativação/inibição da saída de urina/fezes) e função sexual.

Além da terapia comportamental, o tratamento para IU também engloba a realização de atividades físicas que visam o fortalecimento do assoalho pélvico. Uma das formas de fortalecimento desta musculatura é a prática do método Pilates que trabalha com a contração do Power House composto pela musculatura da coluna, musculatura abdominal e assoalho pélvico.

Através da realização de exercícios de fortalecimento, estabilização e aumento da consciência corporal. O método Pilates contribui com a redução dos desconfortos associados aos diversos tipos de IU auxiliando assim, na melhora da qualidade de vida.

Considerando a importância deste fortalecimento, desejo profundamente que seu café, sua auto estima e seu assoalho pélvico estejam sempre fortes.

 

 

Texto escrito pela fisioterapeuta e instrutora de Pilates Gabriela Nunes

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *