Outubro Rosa: A Jornada de Simone Bomediano

Outubro Rosa: A Jornada de Simone Bomediano

Nos eternizamos quando passamos adiante nossas experiências e conhecimentos. Essa é também a intenção desse Blog do Círculo Saudável. Aqui encontramos o olhar de cada profissional e suas vivências. Multiplicamos saberes e atingimos mais pessoas ajudando-as com palavras e informações.

Uma honra poder contar um pouco da história dessa linda amiga, Simone Bomediano, parceira de profissão (fisioterapeuta) e irmã de coração.

Em 2005, Simone foi diagnosticada com câncer de mama, 5 anos depois surgiram tumores ósseos e em 2013 outra manifestação da doença. Saiba como foi a jornada dessa mulher que é sinônimo de vida e determinação.

Sabe aquela pessoa que topa tudo de prontidão?! Que está sempre a disposição para dar atenção ao outro?! Essa é a Simone!

Em 2004 as vésperas de viajar para a Europa com o namorado – agora marido Mário Bomediano – ela sentiu um nódulo na mama. Não deu atenção para isso, foram viajar e ficaram noivos em Paris (sim, como acontece nos filmes…rs).

Na volta da viagem, a sua avó de 90 anos descobriu um câncer de mama e teve que fazer a cirurgia (mastectomia radical), retirada total da mama para não ter que fazer quimioterapia. Seu tratamento foi a radioterapia, mais tarde veio a ter um câncer de fígado. Aos 97 anos morreu em decorrência da doença.

Tendo conhecimento desses fatos, a amiga e ginecologista Eloá começou a insistir para que a Simone fizesse mais exames. No ultra som apareceu um nódulo irregular. Realizou uma punção, um procedimento dolorido que não foi realizado de maneira acolhedora para quem está passando por esse momento tão estressante.

A Simone pegou o resultado e, no carro a caminho do trabalho, resolveu ler o resultado. Onde constava a palavra “carcinoma”, na dúvida Simone ligou para sua cunhada médica que a convenceu a não ir trabalhar assim e voltar para casa para conversar com seus pais.

Característica pessoal dessa guerreira é de sempre consolar mesmo nos momentos em que ela precisaria ser acolhida. Foi assim ao contar para os pais, namorado e amigos.

Feriado se aproximava e após passar o primeiro choque foi o momento de mergulhar na diversão com os amigos. Outra característica da Simone é essa animação e energia, tanto que há 10 anos comemora seu aniversário com um bom samba!

Na volta do feriado começou a correria da preparação para cirurgia, resolver questões burocráticas do convênio médico.

Enfim, foi realizada a quadrantectomia seguida do esvaziamento axilar. Nesse momento, o médico constatou que a cirurgia teria que ser maior do que tinha imaginado.

Antes de iniciar a quimioterapia ela foi conversar com um médico de fertilidade. A opção seria congelar alguns óvulos mas o custo mensal seria muito alto. O noivo disse que o primordial era ela estar bem, depois eles pensariam nisso.

No dia anterior de iniciar a quimioterapia foi procurar um cabelereiro para cortar o seu cabelo e fazer uma peruca com o próprio cabelo. Foi quando raspou pela primeira vez a cabeça e o choro, que até então não havia saído, apareceu…

Enfim, muitas decisões importantes para se tomar de um dia para o outro! Quase sem tempo para refletir.

Iniciou a quimioterapia e teve muitas reações, leucócitos baixos, febre, infecção urinária. Passou uma semana internada. Seu pai ficou muito abalado com tudo isso e sua mãe tinha que se dividir para cuidar da filha no hospital e do marido em casa.

Diante disso o noivo, Mário, decidiu adiar o casamento. E foi ele quem resolveu a maior parte das coisas em relação a cerimônia e festa.

O casamento aconteceu em novembro de 2005 e foi repleto de emoção, alegria e amor!

Após o casamento seu pai adoeceu. Diante disso Simone não fez seus exames de rotina. E em janeiro de 2008 seu pai veio a falecer devido a um câncer no estômago.

SIEMAE

Simone e sua mãe, Aparecida Eugênio Alves.

Nessa época trabalhávamos no mesmo consultório e lembro que em uma de nossas conversas eu perguntei se ela não sentia dor. E ela me respondeu que sentia dor todos os dias mas que ela não iria ficar reclamando disso. Uma lição!

Nesse mesmo ano de 2008, as vésperas de uma outra viagem, surgiu um nódulo no ovário direito de 10cm. Decidiu que iria viajar assim mesmo. Antes do embarque realizou uma cirurgia espiritual. Após um mês da cirurgia refez o exame e o nódulo não aparecia mais.

Durante 5 anos fez acompanhamento realizando exames como mamografia, ressonância magnética de mama e tomografia de abdomen que indicavam estar tudo certo com a evolução do tratamento.

Porém, em 2010 uma dor muito forte nas costas, uma espécie de choque a deixou paralisada. Na radiografia agora aparecia um nódulo na terceira vértebra da coluna lombar.

Retomou o tratamento contra o câncer e dessa vez os ovários teriam que ser retirados, entraria em menopausa precoce. E, de fato, não poderia mais engravidar.

Então ela e seu marido decidiram que o mais importante era os dois estarem juntos e bem. Se um dia surgisse a vontade de serem pais eles adotariam uma criança.

O fato de saber que definitivamente não poderia ser mãe biológica e de descobrir que seu marido não tinha o sonho de ser pai abalou um pouco mas nada que a fizesse desanimar. E foi nesse momento que ela resolveu iniciar a análise com uma psicóloga.

Mais quimioterapia, mais reações, mais uma vez sem cabelo… Mas dessa vez, raspou em casa e quase não usava a peruca.

O câncer em si não era o problema, ainda mais por ser um câncer ósseo que não seria causa de morte. O que é ruim é o tratamento, a quimioterapia.

Tinha muitos pesadelos, dormia muito, fortes dores de cabeça e uma sensação esquisita que não consegue definir, diz ser a “sensação da quimio”. Algumas terapias complementares como massagens aliadas aos medicamentos ajudam a aliviar os sintomas e a sustentavam durante o tratamento.

Até então a relação com os diversos médicos pelos quais passou nunca tinha transmitido acolhimento e segurança. Alguns comentários insensíveis vindos dos próprios médicos causavam um certo desolamento.

Os exames mostravam que os nódulos da coluna haviam diminuído mas o do quadril não, esse tinha aumentado. No final de 2013 a cintilografia óssea mostrava que os nódulos estavam estabilizados.

Em 2013 voltamos a trabalhar juntas. No início de 2014 uma lesão durante a atividade física a levou de volta ao médico. Uma fratura do quadril, mais exames que revelaram mais 5 tumores ósseos – esterno, escápula, quadril, vértebras da coluna (T8 e L4).

Lembro perfeitamente do momento em que ela me contou sobre a volta da doença, na nossa sala de fisioterapia e eu tentando organizar os pensamentos, achar palavras e acalmar o coração.
Logo depois eu a atendi, as vezes a gente troca massagens e como é bom! Ela me põe no eixo!
Eu com um turbilhão na mente e um aperto no estômago.

Algumas respirações profundas, deixar a revolta de lado e se conectar com a energia do AMOR“Só o amor cura”, era o mantra que eu repetia durante a sessão sempre que eu precisava e foi uma sessão linda! Cheia de carinho, amor e amizade!

E lá vai nossa guerreira para mais uma jornada…

Mais uma vez o contato com os médicos não foi satisfatório foi então que ela e o marido resolveram consultar um médico particular em São Paulo que transmitiu disponibilidade e confiança logo na primeira consulta. E isso fez toda a diferença durante o seu tratamento.

O convênio liberava os medicamentos mas o acompanhamento médico foi particular.

Querer saber mais sobre os processos de adoecimentos a levou ao Curso da Nova Medicina Germânica, uma técnica desenvolvida pelo Dr. Ryke Geerd Hamer que descobriu as 5 Leis Biológicas que explicam as causas, o desenvolvimento e a cura natural das “enfermidades” com base nos princípios biológicos naturais. De acordo com essas leis, as chamadas “enfermidades” não são, como se assume, um resultado de um mau funcionamento ou malignidade do organismo, elas são consideradas como “Programas Especiais com Sentido Biológico”, monitorando o indivíduo para ajudá-lo durante um período de estresse emocional e psicológico. O físico reage a mente.

Ela resolveu voltar para a análise com sua psicóloga, continua até hoje com o foco de não adoecer mais.

Durante as sessões de quimioterapia também recebia reflexologia e nesse tempo todo realizou terapias de energia, recebeu passe espírita e tinha um grupo no whatsapp que envia boas energias durante a quimioterapia.

Assim, seguiu seu tratamento com mais tranquilidade, acolhimento e obteve melhores resultados.

225333_10150188170564146_3182886_n

Simone e o marido, Mário Bomediano.

E o cabelo?? Mais uma vez caiu e definitivamente a careca passou a fazer parte dela durante o período. O marido? Raspou junto. As primas (Zuleika e Nigia) cortaram o mais curto que conseguiram em solidariedade. E hoje? Ele já está bem grande porque cabelo cresce!!

Simone não sabe dizer exatamente o que mudou na sua vida mas sabe que tudo mudou!

Hoje é mais determinada, procura não se culpar e não guardar palavras e sentimentos. Os dois últimos exames, que faz semestralmente, não mostravam mais nenhum sinal dos tumores. O médico não pode garantir cura total mas nesse momento não há vestígios do câncer.

No início de 2015 resolveu cuidar mais da sua saúde, iniciou uma dieta com nutricionista e atividades físicas com uma personal trainer. Assim conseguiu emagrecer 8 quilos e se sente mais disposta. Mantém firme suas atividades físicas sem o acompanhamento direto da personal atualmente.

Hoje ela se sente mais dona de si, sem necessidade de agradar aos outros ou seguir um padrão. Obrigação? Somente ter respeito e amor pelo próximo.

Quando perguntei o que ela diria para alguém que acabou de receber o diagnóstico de câncer ela respondeu:

“Não tenha medo porque tem solução. E a solução está dentro da gente, a gente tem que escutar o corpo e o que ele quer. Passa! Vai passar!  Na vida temos ciclos, que somente nós poderemos passar. Se o outro está passando por ele também, uma parte do ciclo é dele próprio. Esse ciclo se fechou na minha vida, já se foi. Mas a vida….. a vida….. essa tem que ser vivida. Você já acordou amanhã?? Eu não!! Eu acordei hoje!!!!!”

 

OBS: No dia que ela me contou sobre a recidiva do doença, após atendê-la eu escrevi e publiquei o texto abaixo. Gostaria de deixá-lo registrado aqui também:

“Vamos vibrar na energia do Amor. 
Para quem vai comemorar o Dia dos Namorados, para quem vai torcer nos jogos da Copa, para quem precisa (e quem não precisa?!) de uma cura!
De que adianta se conectar a energia da tristeza ou raiva se as coisas ainda não estão do modo que você gostaria?!
O que acontece exatamente do modo que você gostaria?! Nada!
As coisas acontecem do modo que têm que ser. Confie que esse é o melhor modo! O tempo e a vida se encarregarão de mostrar ou não, apenas confie.
Valorize o que existe de bom em você e na situação. Sempre existe coisas boas acontecendo junto. Seja feliz por isso!
Não julgue os outros e não se culpe por estar numa das fases da dor: negação, raiva, barganha, depressão e aceitação. É assim pra todo mundo… o tempo todo… em algum aspecto da vida…
Mas quando você entende, aceita, toma suas decisões calmamente e se conecta a energia do Amor, toda cura (física, emocional ou espiritual) é possível!
É um treinamento diário… para mim também…”

E aqui fica minha contribuição para deixar registrado esse exemplo de mulher que a Simone é!! Cheia de vida!!

Slide1

Simone e Eu, Giselle Mello

OUTUBRO ROSA 2015

PARTICIPE DA NOSSA CAMPANHA!

Doe lenços para cabeça (novos ou usados) e maquiagem (nova) que serão entregues à duas instituições que cuidam de mulheres que estão enfrentando o câncer de mama.

Você pode entregar a sua doação para qualquer um dos profissionais do Círculo Saudável ou na recepção da academia Companhia Athletica no Colinas Shopping em SJC de 05 à 26 de outubro de 2015.

Texto escrito por Giselle Mello (fisioterapia e yoga) e Simone Alves Bomediano (fisioterapia e pilates). 

Os contatos e currículos completos das profissionais você encontra aqui http://circulosaudavel.com.br/convencionais/

7 Comentários

  1. Daniela CP Faria disse:

    Excelente homenagem a essa guerreira incrível. …
    Trabalhei c a Si,fui a seu casamento, testemunhar esse amor lindo foi emocionante. .
    Ela é guerreira, e quando a olhava pensava,meu Deus uma moça linda, q cuida de seus pais c todo amor e carinho, excelente profissional, ela tem q se curar…
    E graças a Deus ela recuperou,ler toda a caminhada da Si,me fez chorar aki,porém ela é única. ..
    E pode passar anos e anos q nunca esquecerei do seu jeito alegre,p cima,totalmente do bem…vou sempre torcer p q tudo isso passe e q essa história fique no passado…
    Que Deus os abençoe, parabéns pela matéria.

  2. Suzana disse:

    Fiz aulas de pilates com a Simone, a conheci através da minha amiga Nigia (prima da Simone).
    Pessoa incrível, acompanho a história dela e realmente é lindo ver a alegria e positividade com que ela encara essa batalha, a qual ela é mais que vencedora.

  3. Luciana disse:

    Essa é a Simone, uma pessoa querida por todos e sempre pronta para ajudar… Adorei a descriçao dela no texto, não podia estar melhor!
    Si voce merece todo o carinho que recebe, voce é especial!

  4. Grace canovas disse:

    Essa e a minha sobrinha, com muito orgulho e ela e’ exemplo para aqueles que passam por esse sintomas,nao desanimem, pois no fundo de um tunel sempre tera’ uma luz te amo Simone.

  5. Grace canovas disse:

    Simone é minha sobrinha que a admiro muito, uma guerreira, quem passar por isso nao se desanime siga o exemplo dela sempre terá uma luz para te proteger.e que deus continue a protegendo.sua tia que apesar de morar longe não deixa de morar por ela.

  6. ANA LETICIA FRANCA disse:

    Nossa! Apesar da situação , linda história de amor, garra e superação. Que Deus abençoe muito a Simone .
    E o texto lindo , lindo Giselle

  7. Evelyn disse:

    Que bom foi saber de vc! Trazer a sua força pra perto de nós, que tanto estamos precisando…. Vamos em frente, vamos abordar hj e saber o q tem para aprender!!! Somos boas alunas, aprendemos rápido!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *