O Sono: Para dormir como um anjo

O Sono: Para dormir como um anjo

O sono é muito importante para nossa saúde e vitalidade. É durante o sono que nosso corpo se refaz dos desgastes cotidianos. Confira aqui informações e dicas para você dormir como um anjo.

O SONO 

O sono é um processo ativo que envolve complexos mecanismos fisiológicos e comportamentos em vários sistemas e regiões do nosso sistema nervoso central.

Poderia ser um assunto sempre agradável, não um problema. Afinal é uma função natural que recupera a energia gasta pelo organismo durante o dia. Mantém o equilíbrio das substâncias químicas no cérebro que regulam o ciclo vigília-sono, consolida a memória, regula a temperatura corporal, entre outros benefícios.

Mas no mundo atual com tantos compromissos profissionais e sociais, uma sobrecarga de atividades cotidianas. Ter uma noite inteirinha bem dormida não é realidade de muitas pessoas.

A sensação de sono não reparador, de má qualidade, com cansaço diurno, ou alguns tipos de insônia = sintoma de alguma doença psiquiátrica ou física, atingem 40% da população mundial (OMS – Organização Mundial da Saúde) e no Brasil 36,5% das pessoas (Instituto do Sono – SP) a maioria mulheres.

Lendo alguns artigos do Dr. Dráuzio Varella, do (Laboratório do Sono do Hospital Português/SP) e também do Instituto do Sono (SP), recordei algumas dicas importantes que vou dividir com vocês.

DICAS PARA DORMIR BEM (HIGIENE DO SONO)

a) Ser ativo físico e mentalmente no período diurno, para isso é recomendado o Método Pilates que trabalha o corpo e a mente. No período da noite preferir atividades mais leves e relaxantes como meditação, ioga e alongamento.

b) Ter horários regulares para dormir e despertar, inclusive aos finais de semana.

c) Ir para a cama somente na hora de dormir, não use a cama como sofá;

d) Ter um ambiente de dormir adequado: limpo, escuro, sem ruídos, confortável e com temperatura adequada. Evite transformar o quarto em escritório, o cérebro associará o ambiente a trabalho;

e) Não fazer uso de álcool ou café, determinados chás e refrigerantes (á base de cafeína) próximo ao horário de dormir. A nicotina (cigarro) é um estimulante que pode atrapalhar o sono;

f) Jantar moderadamente em horário regular e adequado, evite alimentos pesados, de difícil digestão;

g) Realizar atividades repousantes e relaxantes preparatórias para o sono, evitando atividades intensas de esforço e stress. Evite TV e computador, pois a luz forte nos olhos desperta o cérebro, evite Mídias Sociais = ansiedade, excitação e necessidade de conversar;

h) Se tiver dormido pouco nas noites anteriores, evite dormir de dia;

i) Não levar problemas para a cama, evite situações tensas próximo do horário de dormir, como notícias ruins da TV, por exemplo;

j) Não fazer uso de medicamento sem orientação médica.

QUANTAS HORAS DEVEMOS DORMIR?

Essa resposta varia muito, algumas pessoas irão se sentir bem e com sono reparador dormindo 5 horas, outras precisarão de 8 horas, é muito pessoal. Algumas dicas de especialistas para ter uma ideia aproximada de que você está tendo um bom sono, com duração adequada são:

-Não sente sono durante o dia;

-Acorda com disposição, recuperado, sensação de sono reparador, provavelmente está dormindo a quantidade de horas adequadas.

No seu dia de folga do trabalho ou férias, repare quantas horas você dorme indo para cama no horário habitual e acordando naturalmente sem despertador, deixando o corpo acordar naturalmente, esse provavelmente é seu número de horas ideal ou próximo disso.

Para testar seu sono de uma forma mais detalhada, você pode responder à Escala de Sonolência de Epworth, desenvolvida pelo Dr. Murray Johns, para aferir o grau de sonolência diurno. Um resultado de até 9 ponto indica uma condição considerada normal, a cima disso é aconselhável procurar um médico. Você vai encontrar este teste na internet, no endereço do Instituto do Sono: http://www.sono.org.br/sono/testeseusono.php

OS RISCOS NO USO DE MEDICAMENTOS

De acordo com um estudo publicado em 2016 pelo Canadian Journal of Psychiatry, o uso de medicamentos para insônia e ansiedade aumenta em até 36% o risco de mortalidade. Segundo o Dr. Francisco Hora (Coordenador do Laboratório do Sono do Hospital Português) a prescrição de medicamentos pode ser indicada a partir do diagnóstico correto, cota ele:

“A maioria das pessoas que tem insônia crônica se tornam dependentes de medicamentos, sobre tudo, os Benzodiazepínicos. As pessoas acham que vão resolver o problema e se tornam viciadas sem ao menos tratarem a causa. Claro que existe um percentual de pessoas que o próprio psiquismo é tão desregulado, que ele não dorme mesmo, estes e outros tipos de doentes vão sim precisar de ajuda medicamentosa, mas a maioria só precisa descobrir a causa da insônia para não sofrer mais com ela.”

Os efeitos de noites mal dormidas por insônia, ronco, apneia, são muitos e podem comprometer a qualidade de vida e a saúde das pessoas. Quem não dorme bem no dia seguinte não produz, fica irritado, tem a capacidade de memória, concentração e raciocínio comprometidos, perde a resistência e disposição, fica mais vulnerável a infecções, oportunidades e gripes, pois perde imunidade.

Sendo assim, vale a pena dar atenção a esse aspecto tão importante na nossa vida e insistir nas dicas citadas a cima para dormir bem.

 

 

Um abraço e bom sono!

Texto escrito pelo professor Luiz Coimbra – Educador Físico CREF 004347-G/SP – Pilates Instructor Studio Pilates Brasil / Cia Athlética  &  Personal Trainer  /  Membro do Círculo Saudável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *