O que são os “Bandhas” do Yoga?

O que são os “Bandhas” do Yoga?

Bandha é o nome dado a um conjunto de técnicas usadas no Hatha Yoga com dois objetivos diferentes: um no plano sutil (energético) e outro no plano denso (físico). Em sânscrito a palavra bandha significa “fecho”, “fixação” ou “contração”.

Essas técnicas foram descritas pela primeira vez no século XIV em um texto clássico do Yoga chamado “Hatha Yoga Pradipika, II: 46.” E aparecem também em outros tratados de Yoga como o “Gheranda Samhita” e “Goraksha Shataka”.

Os bandhas são contrações de determinadas áreas do corpo físico que estão relacionadas aos chakras (centros da energia vital) e que funcionam como canalizadores do fluxo energético. Quatro são de maior importância:

1) jalandhara – contração da garganta
2) uddiyana – contração do abdômen
3) mula – contração do assoalho pélvico
4) jihva – contração da língua.

Além desses quatro, existem algumas combinações entre eles que recebem nomes diferentes, como bandha traya. A “contração tríplice”, que consiste em fazer simultaneamente jalandharauddiyana mula bandhas. E maha bandha(a “grande contração”, que é a combinação das quatro acima mencionados). Isso se faz durante a prática de certos pranayamas e em algumas meditações.

O Hatha Yoga dá tanta importância à prática destas contrações pois, em primeiro lugar, elas possibilitam uma prática segura do ponto de vista físico. E na dimensão energética, os bandhas são usados para evitar a dispersão da força vital e conduzí-la pelo canal central da energia vital, possibilitando assim o despertar da energia sutil.

Enormes benefícios obtêm-se da prática sistemática dos bandhas, tanto em nível fisiológico quanto em nível psíquico. É possível perceber melhoras no sistema endócrino, no funcionamento dos órgãos internos, no sistema nervoso, bem como no funcionamento da própria mente, que fica mais focada e torna-se assim mais apta para a concentração.

Os bandhas trabalham músculos como os abdominais.

o diafragma e os paravertebrais profundos (músculos mais intimamente conectados à coluna) atuando diretamente na postura. Do mesmo modo, muitos outros músculos que auxiliam ou mesmo determinam importantes funções são exercitados nessas técnicas como os grupos musculares orofaringeanos (músculos da boca e da garganta) e do assoalho pélvico (músculos que delimitam inferiormente o quadril).

A sucção do abdome obtida no uddiyana bandha leva a um aumento da pressão intra-abdominal e, somando-se isso à contração do assoalho pélvico obtida pelo mula bandha. Potencializa a sensação de uma força ascendente, que pode ser percebida como algo se irradiando para cima ao longo da coluna lombar. Em nossa linguagem fisiológica clássica, podemos mencionar esses eventos como sensações interoceptivas e proprioceptivas (do próprio corpo) decorrentes de variações de pressão. Estímulos circulatórios e sensibilização associados à concentração na região abdomino-pélvica.

11960044_10153010570946456_4009767851172684942_n

Institutos de ensino e pesquisa no mundo todo avaliam as técnicas do yoga para validar sua prática junto a outros tratamentos médicos. Como podemos observar na foto do Instituto de Yoga Kaivalyadhama na Índia fundado em 1924 ativo até os dias de hoje, onde o próprio fundador, o Swami Kuvalayananda observa a experiência com os bandhas.

Investigações científicas levaram a conclusões importantes sobre aplicações terapêuticas e preventivas dessas práticas. Na década de 1950 o ginecologista Arnold Kegel constatou que a fraqueza do feixe pubococcígeo. Estava associada a casos de incontinência urinária em mulheres e aperfeiçoou essas técnicas originais criando um método de condicionamento muscular desta região. Foi constatado paralelamente que esses exercícios também melhoravam as funções reprodutivas. Principalmente com intensificação dos orgasmos e maiores níveis de excitação, além de serem excelentes preventivos contra prolapsos genitais pós-parto e impotência masculina.

Uma recomendação importante para começar a praticar o Uddiyana Bandha é realizá-lo com o estômago vazio. Ele pode ser praticado sentado, de pé, deitado ou mesmo executando alguma postura. Como a Adho Mukha Svanasana (cachorro olhando para baixo), por exemplo. A expansão da caixa torácica sem a inalação, eleva e alonga o diafragma e suga as visceras e músculos abdominais para dentro. Produzindo uma aparência côncava, como ilustrada nas imagens abaixo.

O Uddiyana Bandha estimula os músculos cardíacos, tonifica os órgãos abdominais, favorece o peristaltismo. Normaliza a secreção do suco gástrico e elimina toxinas e disfunções dos aparelhos digestivo e excretor. O Uddiyana Bandha é contra-indicado durante a gravidez e para pessoas com doenças cardíacas. Pressão alta e glaucoma. Particularmente, em minhas aulas de yoga, costumo indicar de 3 a 5 repetições diárias desde que nenhuma das contra indicações se apresente assim como nenhum desconforto abdominal como cólicas intestinais ou renais. Crise de gastrite e cuidado para quem tem hérnia de hiato e refluxo gástrico. Para aprender corretamente a técnica um professor de yoga deve ser consultado.

Vale lembrar que a intenção durante a prática de yoga favorece a melhores resultados obtendo a integração do ser humano em todos os seus aspectos: físico, mental, energético e espiritual.

 bandhas-para-iniciantes-introducao-as-contracoes-no-yoga4images (2)

Texto escrito por Giselle Mello, instrutora de yoga e fisioterapeuta, pós graduada em Bases da Medicina Integrativa.

Referências:

http://kdham.com/

Monjo, P. D. V., M. L. Gharote, and J. M. Bhagwat. “Effect of kapalabhati and uddiyana bandha on cardia rhythms.” Yoga-Mimamsa 23.1 (1984): 41-62.

http://www.yoga.pro.br/artigos/646/3026/conheca-os-bandhas-do-hatha-yoga

http://www.yogajournal.com.br/asanas/experiencia-radical/

http://www.scielo.br/pdf/csc/v15s2/a35v15s2.pdf  “Rodrigues MR, Deveza C, Santaella DF, Filla JAM, Gulmini LC, Di Benedetto MAC, Castilho MC, Ferreira M, Shimada S. Estudos sobre o yoga. São Paulo: Phorte; 2006.”

 

Vídeo:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *