A importância do Brincar

Quando falamos em brincar associamos apenas a momentos prazerosos, mas brincar pode ser muito mais sério que isso.

A brincadeira contribui para o desenvolvimento emocional, social, acadêmico, físico e cultural da criança, capacitando-a no que diz respeito a fornecer uma base psicológica para essas habilidades.

“A brincadeira é uma experiência flexível e autodirecionada, que serve tanto para as necessidades de uma criança individualmente como para a sociedade futura na qual ela viverá na vida adulta”. (JARVIS, BROCK e BROWN, 2009)

Reed e Brown (2000) referem que a brincadeira é algo difícil a se definir, pois ela é mais algo que se “sente” em vez de algo “feito” e comentam que não existe uma definição universal para a brincadeira na literatura.

Os critérios a seguir para definir a brincadeira foram propostos por Garvey (1977,p.10):

  • É agradável para quem brinca.
  • É espontânea e voluntária
  • Ela envolve um comprometimento ativo daquele que brinca.

Enquanto a criança está brincando, ela está ao mesmo tempo aprendendo, através de brincadeiras com objetivos educativos a criança desenvolve habilidades cognitivas e intelectuais e com as brincadeiras mais lúdicas, desenvolve habilidades sociais e criativas.

A brincadeira permite também que a criança expresse suas emoções ou vivências difíceis, proporcionando um alívio das tensões do dia-dia. É uma oportunidade de elaborar algum conteúdo psíquico.

Auxilia na construção do eu, através da integração do corpo com a mente. A criança é muito mais corporal que o adulto e durante toda a infância ela explorará e experimentará seu corpo de forma lúdica.

A brincadeira pode ser individual ou em grupo, quando individual pode ser uma possibilidade da criança ficar sozinha, já que muitas vezes isso não é possível diante do cotidiano atarefado e em grupo é a experiência da convivência e do respeito com o outro.

Na era da tecnologia, muitas vezes é um desafio e até uma concorrência com celulares, games e jogos, mas é preciso ter criatividade, contar histórias, deixar a criança ter contato com massinhas, tintas, materiais de texturas diferentes, atividades onde elas possam se expressar e que não estejam definidas, onde possam ser as próprias autoras, favorecer condições para criar, imaginar, fantasiar e buscar recursos.

A brincadeira cria uma atitude alegre em relação a vida e a aprendizagem. Vamos Brincar!!

 

 

Texto escrito pela psicóloga Mariana Gruppi.

Para contato da profissional acesse aqui.

 

 

 

Referências Bibliográficas:

Brincar Aprendizagem para Vida Autores: Brock,Avril / Dodds,Sylvia.  Ed: Artmed- 2011

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *