Diarreias agudas: o que eu preciso saber?

Durante o verão, meses quentes e úmidos aumentam os casos de diarreia e os prontos atendimentos ficam lotados de adultos e crianças necessitando de cuidados.

A pergunta fica no ar: o que eu posso fazer para evitar  um quadro de diarreia?

 

O que é?

Diarreia é um sintoma que se caracteriza por aumento do volume de água eliminada em uma ou várias evacuações por dia, com perda da consistência das fezes, podendo ser acompanhada de outros sintomas como febre, desidratação e presença de muco ou sangue nas fezes.

É uma das principais causas de atendimento hospitalar em diversas regiões do mundo. A ACG American College of Gastroenterology estima que mais de 50 milhões de atendimentos ao ano foram realizados nos EUA devido diarreia, causando um alto custo no sistema de saúde.

Já a Organização Médicos Sem Fronteira estima que no mundo ocorrem de 3 a 5 bilhões de casos de diarreia por ano, principalmente nos países mais pobres.

Sempre é importante lembrar que a diarréia ainda é a principal causa de morte em crianças no mundo.

 

Desidratação

Nosso tubo digestivo produz cerca de 10 litros de líquido por dia para seu funcionamento e isso é reabsorvido no intestino grosso, porém quando uma pessoa está com sintomas de diarreia ela irá perder grandes volumes de líquido, em alguns casos até 1 litro/hora, o que nos faz entender como a desidratação ocorre com certa rapidez, por isso a urgência de início de tratamento para a pessoa afetada.

 

Quais as principais causas de diarreia?

São por  infecções, reações medicamentosas ou doenças crônicas agudizadas.

Hoje daremos atenção nas infecciosas causadas por vírus, bactérias e parasitas.

 

Virose?

Você deve estar se perguntando por que sempre se conceitua diarreia aguda como virose?

Isso ocorre porque grande parte dos quadros são causados por vírus comuns  em nosso meio como o rotavírus, norovirus e adenovirus, que são vírus muito fáceis de serem transmitidos, bastando o contato com água, alimento contaminado, contato pessoa-pessoa, principalmente em aglomerações como creches, escolas, igrejas, shows, hospitais.

As diarreias tendem a cursar na sua forma benigna e auto-limitada, não excedendo 5 dias de sintomas e se resolvendo em até 2 semanas, não precisando investigação de maior profundidade para pesquisar suas causas.

Devido isso houve uma generalização de se relacionar diarreia como virose gastrointestinal, porém temos causas bacterianas  e até mesmo de parasitas/vermes.

As diarreias persistentes com mais de 4 semanas devem ser investigadas por um especialista.

 

Sinais de Alerta

As pessoas precisam ser orientadas adequadamente a procurar atendimento médico em caso de sinais de alarme  de um quadro diarréico que são esses:

  • Febre alta (a partir de 38,5) e contínua
  • Dor abdominal persistente com presença de evacuação com sangue
  • Duração superior à 5 dias
  • Sinais de desidratação como tontura, sede excessiva, desmaio, aumento dos batimentos cardíacos, palidez na pele, diminuição do volume de urina
  • Atenção especial para os pacientes crônicos como os renais crônicos e os cardiopatas

Cuidados com a alimentação

Os alimentos também são fontes importantes de transmissão de vírus, bactérias e parasitas por isso devemos ter muito cuidado ao manipulá-los e conservá-los.

Todos vocês devem ter em casa uma tábua de cozinha,  onde se coloca os alimentos para picá-los com uma faca antes de prepará-los, não é?

Sabe aquela tábua de madeira de aparência inocente que você usa? Ali pode estar a fonte de contaminação.

Lembre-se de que a madeira ao ser molhada e ter vincos minúsculos na sua composição (pois é um material vegetal) pode abrigar inúmeras bactérias/fungos/vírus invisíveis a olho nu e a rotatividade de alimentos no utensílio pode virar um carrossel de transmissão de micróbios de um alimento para o outro.

 

Se eu levar o alimento ao fogo não mata as bactérias?

Sim, cozinhar em fogo por vários minutos, acima de 70 graus já é suficiente para matar a maioria dos micróbios, mas lembre-se que você pode ter colocado as folhas de alface (que não serão cozidas), tomate ou a cebola em cima da tábua e contaminar esses alimentos.

 

Então doutora, se eu lavar a tábua de madeira ela será esterilizada?

Dificilmente você irá conseguir isso, pois não basta água e sabão, devemos utilizar água quente.

Utensílios de madeira não são resistentes e demoram para secar, acumulando umidade que é um prato cheio para a proliferação de micróbios.

A melhor tábua, sendo a mais higiênica para utilizarmos é de material de vidro que pode ser desinfetada com água e sabão e a segunda melhor é a de plástico, porém essa não é eterna, quando for observado muitas ranhuras (que são cortes pequenos), elas devem ser substituídas também.

As diarreias devem ser cuidadosamente observadas pelo doente ou seus cuidadores.

 

Medidas a serem tomadas

  • promover hidratação vigorosa,
  • reposição de sais minerais (a água de côco é ótima repositora de eletrólitos)
  • medicação sintomática para dor e recompositores da flora intestinal (probióticos)
  • Nunca use antibióticos ou medicamentos que param a diarreia sem consentimento dos profissionais de saúde, pois em alguns casos ocorre agravamento do quadro.
  • Lembre-se sempre de lavar as mãos antes de manipular alimentos ao cozinhá-los ou comê-los.

Tenha um verão mais seguro e sem infecções!

 

 

Texto escrito pela médica gastroenterologista Fabiana Alves.

Para currículo completo da profissional acesse aqui.

Outros textos da doutora você encontra nesse link.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

X