O que é Cuidado para você?

cuidadoPara mim Cuidado, em primeiro lugar, é dar Atenção e depois realizar uma Ação de acordo com a necessidade observada.

Como por exemplo “Cuidado, piso molhado”, ou seja, cuidado onde pisa para não cair. Ou “Cuidado, o bebê está dormindo , fale baixe”.

Uma atenção genuína. Realmente olhar e enxergar, escutar e compreender, falar ou tocar com respeito o outro.

 

Somos todos cuidadores uns dos outros e somos cuidados por alguém durante toda a vida.

Mesmo que você seja totalmente independente de vez em quando você precisa ir ao médico,  vai receber uma massagem, busca conselho com um amigo, o colo da mãe…

E a grande maioria de nós, mesmo os ditos “auto suficientes” precisarão ser cuidados em algum momento da vida, por familiares, amigos ou profissionais,  mesmo que seja só perto da morte.

Então sabe aquela frase comum de escutar “Eu não quero dar trabalho”, repense!

Nós daremos trabalho! Assim sendo, que seja um trabalho gostoso de realizar. iStock_000013371064Medium

Tem paciente que é uma delícia cuidar, que é gentil, amoroso, educado. Outros nem tanto, sempre foram mais rabugentos e, provavelmente, serão assim na finitude da vida também. Não estamos falando de quem possui uma doença senil que pode afetar o comportamento como o Alzheimer.

Parar para refletir sobre isso nos faz pensar em como realizamos a nossa função de cuidar do outro – um dia seremos nós naquela situação – e de como eu quero ser quando precisar ser cuidado por alguém.

Profissionais da Saúde

Acredito que os profissionais da saúde e até mesmo outros profissionais que trabalham em locais como hospitais e consultórios – os recepcionistas, o pessoal da limpeza entre outros – escolheram servir em um local como esse porque possuem o dom da empatia e desejam ajudar o próximo.

estresse enfermeiroMas não é fácil lidar com o momento de maior fragilidade humana – doença e morte – por muito tempo. Como profissionais da saúde, não fomos ensinados a lidar com essas questões.

Atualmente algumas faculdades abordam esses temas que acontecem frequentemente na nossa jornada de trabalho. Talvez porque hoje seja muito comum a Síndrome de Burnout, o esgotamento profissional.

Esse esgotamento emocional também pode acontecer com os familiares que cuidam de seus entes queridos.

A Síndrome de Burnout é um distúrbio psíquico, sua principal característica é o estado de tensão emocional e estresse crônicos provocados por condições de trabalho físicas, emocionais e psicológicas desgastantes.

Sintomas como agressividade, isolamento, mudanças bruscas de humor, irritabilidade, dificuldade de concentração, lapsos de memória, ansiedade, depressão, pessimismo, baixa autoestima, dor de cabeça, enxaqueca, cansaço, sudorese, palpitação, pressão alta, dores musculares, insônia, crises de asma, distúrbios gastrintestinais são comuns na Síndrome de Burnout.

Para prevenção ou recuperação logo quando aparecem os primeiros sinais desse esgotamento é primordial que tenhamos o hábito de nos observar, perceber o que está acontecendo, prestar atenção em si mesmo e tomar as atitudes para que corpo e mente reencontrem o equilíbrio, chamamos isso de autocuidado.

Mesmo porque eu só consigo cuidar do outro se eu estiver inteiro, se eu estiver bem.

Algumas medidas simples devem adotadas como rotina diária para nossa saúde profissional e emocional. Geralmente nos estágios inicias esses ajustes são suficientes para nos ajudar mas caso necessário procure um profissional especializado.

Dicas de Autocuidado

  1. Dedique um tempo para se observar.  Medite.
  2. Reflita: como você está se sentindo fisicamente (existe algum sintoma?), emocionalmente (está feliz, triste, apreensivo?), mentalmente (relaxado, estressado). Lembre-se que a definição de saúde é a sensação de bem estar físico, mental e social.
  3. Pense sobre o que você pode fazer para melhorar algum sintoma. Mudança de hábitos.
  4. Aprenda a dizer não sem culpa e a delegar funções. Nem sempre somos capazes de dar conta de tudo. Lembre-se que junto a gente pode chegar mais longe.
  5. Tenha momentos de lazer, folga e distração.
  6. Cuide dos 3 pilares básicos de saúde: alimentação, sono e corpo-mente.
  7. Terapias Integrativas como massagem, yoga, meditação, terapia floral, reiki entre outras ajudam no processo de relaxamento e reequilíbrio funcional.
  8. Não se automedique e nem consuma álcool ou outras drogas com a finalidade de resolver o problema.
  9. Repense sobre sua profissão, atuação ou local de trabalho. A ajuda de psicólogo ou coach pode contribuir nesse processo.
  10. Ame-se. Cuide-se!
voce-e-o-que-voce-come-e-pensa-blog-Dani-Rigo-2

Saúde Integral: bem estar físico, mental, emocional, espiritual e social.

.

Texto escrito por Giselle Mello,

fisioterapeuta pós graduada em Yoga e Bases da Medicina Integrativa. 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *