Criança com Câncer – Cuidando de forma integral

Criança com Câncer – Cuidando de forma integral

A criança em tratamento oncológico sofre muitas mudanças durante e após seu tratamento.

Quando uma criança com câncer é diagnosticada, toda uma estrutura familiar desmorona e nessa hora é imprescindível a ajuda psicológica que servirá para reorganizar a “bagunça” que aconteceu.

Tem que se observar de imediato que ali encontra-se um ser integral em estado infantil e que devido a isso deverá ser tratado e acolhido com a calmaria que se deve ter a uma criança.

Ele deve ser acolhido na fantasia uma vez que seu mundo infantil de brincadeiras e desenhos de doces e balões, como num passe de mágica se tornou um mundo de exames e agulhas de quimioterapias e incertezas.

Aqui entra o trabalho delicado do psicólogo.

Acolher, fazer sorrir as lágrimas de dores e anseios. Trazer para a fantasia essa criança que de forma imperativa foi colocada num mundo onde ela jamais pensou um dia em querer estar.

Tratar o SER Integral

E sua espiritualidade sem perder a purpurina das bailarinas que jogadas nas camas hospitalares aceleram o processo de cura. E as espadas que matam não só o câncer, mas os dragões das brincadeiras feitas entre vômitos e punções.

Assim a criança consegue através da sua integralidade transitar entre os mundos da doença e da fantasia. Da lógica e da mágica. Da dor e dos sorrisos.

Tratar a criança apenas como criança nessa hora é quase um desrespeito a sua sensibilidade. Uma vez que ela entende tudo o que se passa a sua volta.

Contudo faz-se necessário trazer esse pequeno ao seu mundo infantil. Uma vez que esse processo de tratamento tem data para terminar e assim ela necessitará continuar seu caminho de onde parou.

O retorno nunca é igual uma vez que sabemos que já não somos mais os mesmos de ontem.

E não é diferente com a criança em tratamento oncológico. Ela também sente as modificações no seu corpo, no seu cabelo, na sua imagem corporal.

Sua significação do novo necessita ser estruturada e trabalhada de forma simples para que ela entenda que o retorno. É apenas um ponto deixado na curva daquele que precisou ir ali do outro lado da estória e agora retornou.

Retornou para seus amigos que continuaram um processo de caminhada diferente do seu.

Assim entendo que a criança integral com corpo mente espirito, deve ser respeitada no seu momento de risos e dores de medos. E incertezas de escuridão e luz para que ela renasça esplendorosa e continue o seu caminhar segura e feliz pelo resto de sua vida lembrando sempre da frase da sua infância… “e viveram felizes para sempre.”

cancer-infantil

 Texto escrito pela psicóloga Carmela Silveira.

O contato e currículo completo da profissional você encontra aqui http://circulosaudavel.com.br/convencionais/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *