A construção do feminino, por que eu me visto assim?

A construção do feminino, por que eu me visto assim?

Mesmo sem falar uma palavra, já dizemos muito sobre nós para as outras pessoas. A roupa, como uma segunda pele, é uma maneira de nos revelar e nos esconder para o mundo e carrega mensagens que ajudam (ou até atrapalham!) o nosso relacionamento com os outros e nós mesmos. Mas você já parou para pensar o porquê das suas escolhas? Por que você se veste assim?

 

Todos os dias, em frente ao guarda-roupa, cada um de nós tem pensamentos variados, como: preciso estar confortável acima de qualquer coisa, preciso valorizar minhas curvas, quero ficar o mais discreta possível, quero usar algo bem colorido… Essas preocupações carregam muitos significados e emoções reprimidas, mesmo que nem sempre conscientes, que foram moldados no decorrer de nossas vidas.

 

Assim, com conhecimentos da Consultoria de Estilo & Imagem e conteúdos das fases de vida baseados na Antroposofia, mergulhamos nesse assunto para te ajudar a encontrar algumas respostas. Para isso, é necessário revisitar a sua própria biografia e identificar fatos que contribuíram para a construção da identidade com aspectos do feminino.

 

Mesmo antes de você nascer, a sua identidade já estava sendo moldada. De acordo com a moda da época, seus pais, bem como familiares e amigos, escolheram suas roupas e seu enxoval. Passivamente você foi vestida, não só pelas peças, mas pelas expectativas e desejos dos seus pais que assim modelavam a filha esperada. Além disso, todo o contexto social, cultural, geográfico e familiar também exerciam influências.

Setênios na Antroposofia

Para dar continuidade à história da sua vida, vamos apresentá-la em setênios, pois assim são divididas as fases da vida, com base na Antroposofia. Quero ressaltar que os setênios devem ser entendidos como arquétipos.

Primeiro setênio (0 a 7 anos):

quais eram as expectativas em relação a sua chegada? Desejavam um menino ou uma menina? E como era o contato da sua mãe, ou da pessoa que cuidava das suas roupas? Ao te dar banho e te vestir, essa pessoa criou com você laços que se constituíram em marcas sensoriais na pele e no cabelo.

Aqui, o aprendizado se deu pela imitação. Você se lembra das brincadeiras e roupas que utilizava quando imitava a sua mãe?

Segundo setênio (7 aos 14 anos):

Você já estava inserida em outros contextos sociais, como escola, clube, igreja e etc. Da relação com esses outros espaços, você se recorda do uniforme utilizado para ir à escola? Quais eram as propagandas veiculadas nas mídias sobre a moda?

Da transição da infância a puberdade, quando não nos consideramos nem criança, nem menina, quem e como lhe foi apresentado o primeiro sutiã? O que você aprendeu dos aspectos da feminilidade, da identidade de gênero? Já começou a usar maquiagem? Ou será que queria usar e não deixavam?

Esses questionamentos podem lhe remeter a lembranças importantes para compreensão dos fatos e, assim, entender o que a motiva a escolher roupas, sapatos e outros acessórios.

Terceiro setênio: (14 aos 21 anos):

A menina foi crescendo e foi surgindo a necessidade de sentir-se livre, independente, de agir com autonomia. Já se está mais distante das expectativas familiares, as escolhas já são motivadas pela identificação com os grupos sociais. Há a necessidade de diferenciação, em especial dos familiares, e uma significativa mudança na forma de vestir-se. Salto alto, bolsas, outros calçados, manicure, depilação. Outro aspecto motiva as suas escolhas: visto-me para esconder ou para seduzir?

Quarto setênio (21 aos 28 anos):

Nesta fase, é quando se busca um lugar no mundo e você assumiu distintos papéis: universitária, namorada, esposa, mãe, profissional…  Pode-se experimentar falta de estabilidade emocional e, com isso, escolher roupas que podem encobrir ou ressaltar a insegurança ou outro sentimento. É uma fase em que há um ator para múltiplos personagens, necessitando de um figurino para cada situação.

Quinto setênio (28 aos 35 anos):

Continuando a desempenhar múltiplos papeis, aqui já você já conquistou o seu lugar no mundo. É menos emoção e mais razão. Muitas mulheres assumem funções de chefia e a profissão passa a ser sua maior preocupação. Também podem ocorrer rupturas na vida profissional e pessoal e esses âmbitos da vida podem ser vistos sob outras perspectivas, que contribuirá para trocas de amizades, de trabalho e até de parceiro. Todas essas emoções desencadeadas pelas situações vivenciadas provocarão interferências na escolha do que usar.

Assim, seguindo de setênio em setênio, até a sua idade atual, vamos encontrando mais repostas e pistas sobre você. Para encerrar, fica uma reflexão: você está feliz com a história de vida do seu guarda-roupa?

 

DelcimareAdriana

 

 

Texto escrito por Delcimar Cunha – Aconselhadora Biográfica

Adriana Pinar – Consultora de Estilo & Imagem da Maistrê Consultoria

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *