Chocolate: Mitos & Verdades

O assunto “Chocolate” sempre está na nossa boca, afinal é uma delícia! Agora na época da Páscoa, então, é o assunto do momento. O seu consumo moderado também oferece uma lista de benefícios. E quanto mais cacau na fórmula melhor. Nos dias de hoje, temos muita influência da mídia, que sempre está comentando sobre os efeitos obtidos pelo chocolate. Mesmo sem saber se é mito ou não, falam que comer chocolate engorda, causa espinhas, entre outras desvantagens. Aqui iremos desvendar alguns mitos e verdades sobre esta delícia, além de apresentar seus benefícios.

Antioxidantes: VERDADE – Nas embalagens dos chocolates, a quantidade de antioxidantes contidos é revelada. O ideal para a saúde é que este contenha 70% de cacau na sua composição. Isto porque o pó do cacau é rico em epicatequina, um tipo de flavonóide com forte ação antioxidante, e também contam com cromo, ferro, magnésio, fósforo, potássio e cafeína.

Causa espinhas: MITO – Não coloque de forma alguma a culpa das espinhas no chocolate, afinal isso nunca foi comprovado e ainda é uma incógnita para a medicina. De uma coisa temos certeza, o excesso de chocolate assim como o excesso de qualquer outro alimento prejudica o corpo de alguma forma, logo, o chocolate pode dar espinhas também, mas isso não é cientificamente comprovado.

TPM: VERDADE – Na TPM temos um aumento do estradiol, que aumenta a sensibilidade do paladar, principalmente para alimentos doces. Já quando a progesterona é elevada, há uma maior sensibilidade para alimentos amargo. Ao comer chocolate, há a liberação de serotonina, hormônio responsável pela sensação de bem estar.

Afrodisíaco: MITO – Perante a ciência, é um mito, mas todos nós sabemos que ao consumirmos chocolate, temos sensações de bem-estar, logo não está muito distante de ser afrodisíaco, não? A produção de hormônios se altera, podendo causar estímulos diferentes do comum no organismo.

Contra inflamações: VERDADE – Civilizações ancestrais como os maias e astecas usavam o cacau para tratar problemas cardiovasculares, gastrointestinais e do sistema nervoso. “O chocolate contém elementos químicos que imitam a ação dos agentes do corpo humano que combatem a dor e a inflamação. Ele também minimiza a quantidade de substâncias inflamatórias no organismo”, afirma Paul Durham, autor do estudo e pesquisador da Universidade do Missouri, nos EUA. “Em nossos testes, usamos cacau em pó para produzir resultados mais eficientes. O chocolate amargo também se mostrou mais eficaz no bloqueio a inflamações que chocolate ao leite”.

 

Tipos de Chocolate

AMARGO: chega a ter 7 vezes mais flavonoides do que o chocolate ao leite. Comporto por sementes de cacau, um mínimo de manteiga de cacau, pouco açúcar e sem adição de leite. A grande quantidade de cacau explica seu sabor amargo. Mínimo de 70% cacau.

AO LEITE: obtido a partir de derivados do cacau. Contém licor, manteiga de cacau, açúcar, leite, leite em pó ou leite condensado. Grande quantidade de açúcar e maior valor calórico do que o chocolate amargo. entre 30 e 45% de cacau.

BRANCO: feito somente com a manteiga de cacau, além de leite, açúcar e lecitina. Não contém antioxidantes, é o mais gorduroso e calórico. 0% de cacau.

 Com todas estas informações, faça desta Páscoa um momento de lazer e saúde para você e sua família!

Gabriela

Texto escrito por Gabriela Consiglio Martins, nutricionista. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

X