A não violência no yoga e na vida

A não violência no yoga e na vida

Ahimsa é um dos valores do Yoga, e se traduz como não violência. Mas a palavra violência está tão carregada de confusão que fica difícil explicar assim. Vamos começar entendendo ahimsa na sua relação consigo mesmo.

Na prática de yoga, quando digo para os alunos alinharem a coluna vejo que muitos se colocam numa postura forçada, obrigando o corpo a fazer isso. É como se um ditador interno te obrigasse a ficar ali, quietinho! Puxe aquela imagem do exército, Todos ali obrigados a fazer sentido sem dar nem um pio.

Portanto, ahimsa é tratar seu corpo com carinho. Fazer a postura e ter paciência com as dores iniciais, sem expectativas de que seu corpo seja diferente do que é. Quando você consegue realmente entrar nesse estado, sua musculatura vai se soltando naturalmente.

A segunda aplicação de ahimsa está relacionada com a pressa e a impaciência. Essas duas fazem você acreditar que o lugar onde você está não é o ideal, que daqui a pouco você vai estar bem e vai poder relaxar… só que esse daqui a pouco nunca chega. Aí você está de férias num lugar paradisíaco mas fica impaciente porque o guia está atrasado.

Na aula de yoga você faz um esforço consciente para não escutar essas vozes. Sua maior aliada é a respiração, cada vez que vem uma pressa de acabar logo, de mudar a postura, você leva a atenção para a respiração profunda. Com o tempo você vai ficando craque.

Deixei por último a questão mais profunda de ahimsa. Respire fundo, revigore sua atenção e enxote essa pressa que está chegando.

Muitas vezes quando se fala em não violência imaginamos uma pessoa molenga, pacata, submissa… Quando na verdade essas qualidades são justamente geradas por reprimir a violência. Vou explicar melhor, a agressividade é simplesmente uma força biológica desenhada para te ajudar a superar obstáculos. Imagine que você está levando água para a aldeia e uma avalanche bloqueia seu caminho. Você fica bravo e usa essa energia da raiva para remover as pedras da estrada.

Infelizmente fomos educados para pensar que a agressividade sempre é ruim. Então, quando você engole um sapo essa força fica aprisionada dentro de você. Para segurá-la aí dentro, você gasta muita energia e então fica cansado, molenga…

As técnicas respiratórias do yoga foram desenhadas para liberar esse acúmulo, por isso é importante fazê-las com intenção. Uma pessoa que está firmada em ahimsa não é aquela imagem de tudo paz e amor, nenhuma preocupação… Ela pode entrar em confronto se necessário, ela pode ter que falar uma verdade dura. Mas ela está comprometida em não machucar, e não machucar-se, tanto no corpo quanto no plano mental e emocional.

Como está seu ahimsa na aula de yoga? No seu dia a dia? Nos seus relacionamentos? Há uma frase da sabedoria védica que afirma: “Quem está firmemente estabelecido em ahimsa afasta da sua presença toda inimizade”. Faça o teste, é tiro e queda (com o perdão a expressão!).

namaste-624x415

Texto escrito por Nicolas Carvalho, instrutor de Yoga e terapeuta da Medicina Chinesa.

O contato e currículo completo do profissional você encontra aqui http://circulosaudavel.com.br/complementares-2/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *